Atônito

Por Treta


Já tem dias que eu ando meio calado
Outras vez me perco na minha fala
Não tem um minuto que não tô preocupado
E como nunca ter faltado no pente uma bala

Me disseram "Treta você anda tão solitário"
Que pala
A solidão me deixou bem acompanhado
Enquanto muitos dividindo a mesma sala
Não dividem abraços
Nem um eu te amo
Vivem tão juntos e ao mesmo tempo tão distanciados

Me faz doer lembrar do passado
Minha primeira lembrança são as nossas risadas
Sentimentos que eu queria sentir no futuro
Mas todo dia me pergunto se serei lembrado

Amor totalmente abstrato
O mundo realmente anda tão confuso
Perdi a conta de quantos me deixaram de lado
E depois vieram perguntar por que eu sumo
Isso me deixou grilado
É como gritar bem alto
Que eu quero um mundo justo
E nunca ser escutado
E por isso aos 21 tantos surtos

E mesmo sem reciprocidade
Irei seguir, a mim eu juro
Não quero que ninguém me tire essa vontade
Vivendo na contrariedade
Acordando pra guerra por saber que a paz anda de luto

E se demorar eu logo volto
Andei meio perdido clareando meu interno tumulto
Pois sei que tenho um céu pra voar alto
E se eu puder levo todo mundo junto


Conhecido como "Treta", João Paulo Reis tem 21 anos e é poeta e slammer.

🦆

Apoie o jornalismo independente colaborando com doações mensais de a partir de R$5 no nosso financiamento coletivo do Catarse: http://catarse.me/jornaldepatos. Considere também doar qualquer quantia pelo PIX com a chave jornaldepatoscontato@gmail.com.

Postar um comentário

3 Comentários

Obrigado por comentar!